poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Mensageiro da esperança…

Pescador de emoções

Sou viajante, buscando belas emoções.
Navegando nas águas arfantes do mar…
Que fica no coração com as inspirações,
Às vezes num céu azul, noutras ao luar.

Um nobre e valoroso cavaleiro, infante,
Galopando em terras distantes sem-fim.
Mensageiro da paz, amizade e amante
Da natureza; rios, florestas, tudo, enfim.

Inspiro-me no rei sol em sua nascente,
Nas colinas do oriente, ele é emblema,
Duma esperança que triunfa reluzente.

Sei que da senda, sou artífice, o tema,
O escultor, com o cinzel n’alma, ciente
Do labor, de entalhar a fé, como lema.

Elias Akhenaton. 

poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Floresta Mística

Floresta mística

Viaja o meu peregrino pensamento,
Ao santuário zen da mística floresta.
Pairando como uma pluma ao vento,
Na terna paz que dela, se manifesta.

Quão sagrada e vital é a natureza!
Reflexo do Arquiteto Deus Criador.
Fonte imensurável de pura beleza,
Concepção do Pai, doador do amor.

Contemplo às espécies das matas
E o sublime canto dos passarinhos
Que aos arrebóis fazem serenatas…

Ainda as cachoeiras e suas cascatas,
Que a alma se enaltece de carinhos,
Evidenciando as inspirações inatas.

Elias Akhenaton.

poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Todo tempo é tempo de amor

Tempo de amor

Todas as estações são belas,
Todas têm seu valor,
Pois foram concebidas
Por Deus, o Arquiteto Criador.

Portanto, não importa
A estação… Não importa a
Transformação… Todo tempo é
Tempo… Todo dia é dia
Para se semear o amor…
Semear a paz.
Deixar florir a alma
E exalar a fragrância
Divina da flor.

Elias Akhenaton.

poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Manhã no Campo…

sol nascendo

Estendo os olhos ao prado celeste,
Vejo quão fascinante, que excede,
Por toda natureza, nada a impede,
Essa cor verde, divina. Inconteste!

O sol se levanta da sua corte leste,
Vem brotar a vida, não se despede.
Fica na alegria que só o rei concede,
Coroando de fé a manhã, no agreste.

Sempre há céu azul, e rios risonhos…
Passarinhos cantam ode à esperança,
Diariamente felizes nunca tristonhos…

Angustiantes, tampouco enfadonhos.
Flores fazem no ar, uma bela dança,
Enquanto laboro, na meta dos sonhos.

Elias Akhenaton.