poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

O beija-flor no outono

outono

O beija-flor está na estação de Outono,
Bailando no ar,
Procurando sua flor para beijar,
Quiçá, ele a encontre,
Senão, vai ficar contemplando
Às folhas secas, caindo devagarinho,
Na mais pura mansidão.
Seja na brisa suave da manhã,
Com seu sabor de maçã,
Ou no aconchego da tarde.
Enquanto isso;
A natureza cumpre seu rito,
Cheia de encanto e beleza com seus ciclos de
Renascimentos e transformações.
Vai aguardar sua amada rubra flor,
Renascida, brotada com toda singeleza,
Em outra estação…
Mas verdadeiramente, a encontrará,
Em seu secreto jardim…
O pulsante coração.

Elias Akhenaton.

poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Mensageiro da esperança…

Pescador de emoções

Sou viajante, buscando belas emoções.
Navegando nas águas arfantes do mar…
Que fica no coração com as inspirações,
Às vezes num céu azul, noutras ao luar.

Um nobre e valoroso cavaleiro, infante,
Galopando em terras distantes sem-fim.
Mensageiro da paz, amizade e amante
Da natureza; rios, florestas, tudo, enfim.

Inspiro-me no rei sol em sua nascente,
Nas colinas do oriente, ele é emblema,
Duma esperança que triunfa reluzente.

Sei que da senda, sou artífice, o tema,
O escultor, com o cinzel n’alma, ciente
Do labor, de entalhar a fé, como lema.

Elias Akhenaton. 

poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Todo tempo é tempo de amor

Tempo de amor

Todas as estações são belas,
Todas têm seu valor,
Pois foram concebidas
Por Deus, o Arquiteto Criador.

Portanto, não importa
A estação… Não importa a
Transformação… Todo tempo é
Tempo… Todo dia é dia
Para se semear o amor…
Semear a paz.
Deixar florir a alma
E exalar a fragrância
Divina da flor.

Elias Akhenaton.

Pensamento · poema · Poesia · Poetry · Uncategorized

Ser Alado…

beija-flor (2)

Nasci para ser livre
Como ave peregrina.
Sou beija-flor,
Também águia e condor.

Voo pelo mundo em toda direção,
Sem rotas, limites e fronteiras,
Levando aos horizontes; emoções,
Sentidas no coração.

Podem encontrar-me
Em um encantado jardim, namorando,
Fazendo versos a uma bela rubra flor,
Nutrindo-se com a seiva do amor.

Mas logo, estar-me-ei
Planando as altas cordilheiras.
Transmutando as incertezas,
Vencendo minhas barreiras.

Pois, são com essas asas,
Que posso contemplar as paisagens da vida,
Com sua essência divinal…
E nelas vencerei montanhas íngremes da existência.

Em todos os cantos e recantos, seja onde eu for,
Sou sensível como um beija-flor
E perseverante como a águia e condor.
Alado sou, mensageiro do amor!

Elias Akhenaton.

Águia