Poesia · Poetry

Doce lembrança

father with son in summer playing with kite

Hoje me bateu uma (e) terna lembrança,
Suave, semelhante à brisa fina da manhã.
Boas recordações do tempo ido de criança,
Onde eu brincava, sem pensar, no amanhã.

Deixei fluir, encantar-se nesta atmosfera;
Bolas de gude na areia – doce inocência,
Pipas no campo, ao céu azul da primavera,
É inesquecível em minha vida, existência.

É bom lembrar-se de quão feliz emoção,
Junta com o aprendizado de tantos anos.
Retratos da vida, guardados no coração.

De um tempo mágico que não volta mais,
Ainda que fale a criança, mas com planos.
Penso no labor, com enfoque nos ideais.

Elias Akhenaton.